As alterações no comportamento do meu cão idoso são normais? Como melhorar a expectativa e qualidade de vida do cão idoso?

nov 12

As alterações no comportamento do meu cão idoso são normais? Como melhorar a expectativa e qualidade de vida do cão idoso?

Envelhecer caracteriza-se por um processo biológico onde ocorrem constantes modificações nas células e tecidos do organismo gradualmente, com consequente perda da sua função de adaptação. Devido ao desgaste dessas estruturas ao longo da vida e o aumento da expectativa de vida dos animais domésticos atualmente, as doenças neurodegenerativas se tornam cada vez mais comum. 

Algumas destas doenças, como a disfunção cognitiva dos cães, muitas vezes é hipodiagnosticada devido ao desconhecimento do proprietário ou ainda sendo assumida erroneamente como alterações comportamentais intratáveis, características do processo de envelhecimento natural.  

Esta doença caracteriza-se como deterioração das habilidades cognitivas do animal, sendo consequência de um processo degenerativo do sistema nervoso central. A doença é comparada por alguns autores como o Alzheimer humano, devido a suas características. 

Devido ao grande aumento dos animais geriátricos no atendimento clínico, cabe ao veterinário auxiliar no retardo ou redução a deterioração progressiva dos sistemas do organismo, incluindo a diminuição da capacidade cerebral cognitiva, e proporcionar uma melhor qualidade de vida ao paciente. 

O diagnóstico inicial para detecção da disfunção cognitiva é pela observação do proprietário e elaboração de relatórios e acompanhamento dos sinais clínicos. Quanto aos sinais mais relatados pelos proprietários estão a desorientação, mudanças no tratamento e comportamento na relação com outros animais e pessoas, distúrbio no ciclo sono/vigília, mudanças no nível de atividade diária e perda do treinamento, inclusive higiênico (animal começa a urinar/defecar no lugar errado). No entanto, alguns sinais menos frequentes também devem ser considerados, como desorientação espacial, andar compulsivo, aumento da ansiedade, perda auditiva ou da visão, alguns deixam de reconhecer membros da família ou até mesmo o próprio nome. O diagnóstico consiste ainda em exclusão de outros processos patológicos que podem apresentar ou contribuir para estes sintomas. 

Quanto ao tratamento, o objetivo consiste em reverter a progressão da doença e repor os níveis neurotransmissores ou facilitar seu metabolismo. Para reversão da progressão da doença, um programa comportamental deve ser adotado, assim como a administração de ácidos graxos e oxidantes (GERIOOX). 

A administração de GERIOOX garante a ação antioxidante e de ácidos graxos necessários para a reversão da progressão da doença. A combinação de vitamina E, zinco, cobre e selênio agem na eliminação dos radicais livres enquanto os ácidos graxos (Ômega 3) irão diminuir a deposição de materiais beta-amiloide e irão proteger a membrana. 

Além deste benefício, GERIOOX atua também em diversos outros sistemas, auxiliando na prevenção e saúde do animal idoso. Agindo na proteção das articulações, melhora da função renal (filtração glomerular), função cardíaca, pele (pela melhora da microcirculação e ação antinflamatória), atua na prevenção e tratamento da ceratoconjuntivite seca (CCS), entre outros benefícios que refletem a saúde geral do paciente e melhor expectativa de vida com qualidade.

Promotora Labyes –  Joana Kelly Martins Lopes
Pós graduanda em Clínica Médica de Pequenos Animais.

FONTES:  <http://labyes.com/wp-content/uploads/2017/12/disfuncao-cognitiva-dra-joice.pdf 

https://lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/69650/000873803.pdf?sequence=1&isAllowed=y >