nov 07

Ósseo 30ml

Melhora a assimilação do cálcio e fósforo.  Tratamento de doenças ósseas

Tire suas dúvidas

Quando usar

  • Indicado no tratamento das doenças ósseas, raquitismo, osteomalacia, osteoporose, osteofibrose (“paper bone” do gato) e malformações do esqueleto.
  • Recomendado no caso de animais que sofreram fraturas e/ou submetidos a cirurgias que envolvam o tecido ósseo.
  • Nos casos de Osteoporose acentuada administrar cápsulas de carbonato de cálcio. 
  • Nas fêmeas no período pré e pós parto e para auxiliar no desenvolvimento ósseo das ninhadas.

Possui efeitos colaterais?

Sem contraindicações. Não oferece riscos à saúde em caso de superdosagem. Em caso de dúvidas consulte um Médico Veterinário

Modo de usar e doses

DOSES PADRÃO:

  • Cães de pequeno: porte 01 borrifada, 03 vezes ao dia.
  • Cães de médio porte:  02 borrifadas, 03 vezes ao dia.
  • Cães de grande porte: 03 borrifadas, 03 vezes ao dia.
  • Gatos: 01 borrifada, 03 vezes ao dia.

POSOLOGIA E MODO DE USAR:

O produto pode ser administrado diretamente na mucosa oral, na água de bebida ou no alimento do animal.

  • Na mucosa oral: expor a parte interna da bochecha (mucosa bucal) e dirigir as borrifadas sobre ela, facilitando o contato direto do medicamento.
  • Na água de bebida: colocar as doses total do dia indicadas de acordo com o porte do animal na água de bebida.
  • No alimento: sobre os alimentos (rações, leite, etc), borrifando o produto imediatamente antes de oferecer o alimento ao animal.

Problemas ósseos em cães e gatos é mais comum que se imagina. Podem ser por alguma mal formação ou pela alimentação inadequada. Entre os principais problemas relacionados estão o raquitismo, osteomalacia, osteoporose, osteofibrose e outras má formações do esqueleto.

É importante ficar atento aos sintomas das doenças ósseas para fazer o tratamento a tempo em seu animal.

RAQUITISMO

O raquitismo deixa os ossos dos animais fracos durante a fase de crescimento devido a ausência de cálcio, fósforo e vitamina D. Desta forma, há riscos sérios de que ocorram até mesmo fraturas espontâneas, além de que qualquer brincadeira um pouco mais agitada com o animal já apresenta risco.

Além disso, o crescimento dos ossos acontece de forma desordenada, o que pode deixar o animal arqueado, por exemplo. Até mesmo os dentes são prejudicados devido à falta de cálcio e um dos sintomas comuns é a ingestão de alimentos que não devem ser ingeridos como terra, tijolos, reboco de parede e ainda as próprias fezes.

Algumas complicações na postura do animal são consequências da doença e aos primeiros sinais disso é necessário procurar um especialista para realização de exames como de raio X, que podem diagnosticar a quantidade de cálcio no organismo do animal.

O raquitismo normalmente acontece quando o animal ainda é filhote, portanto fique atento. Se não for tratado na fase correta, pode piorar e transformar-se em doenças mais sérias na fase adulta do animal.

OSTEOMALACIA

A osteomalacia assemelha-se ao raquitismo, mas os sintomas surgem na fase adulta do animal. Seu nome quer dizer “ossos moles” e acontece pela alimentação inadequada dos animais, que não ingerem quantidade suficiente de cálcio, fósforo e vitamina D.

O principal sintoma da osteomalacia é a fragilidade do esqueleto visto pelo raio X.

OSTEOPOROSE

A osteoporose atinge diversas pessoas e também está presente nos animais. Os ossos vão ficando porosos e podem resultar em diversas fraturas espontâneas. Isso pode ser diagnosticado no exame de raio X.

Entre as causas principais também está a alimentação dos animais, mas os sintomas geralmente aparecem na fase de velhice do animal.

OSTEOFIBROSE

A osteofibrose pode acontecer nos equídeos e até humanos, sendo mais rara em cães e gatos, caracterizando-se pela atrofia dos tecidos ósseos. As principais áreas afetadas pela doença são a mandíbula e os demais ossos da face. Ela pode ser uma complicação do raquitismo ou osteomalacia, quando não são tratados de forma correta ou no início da doença.

De forma geral, todas as doenças ósseas estão relacionadas à falta de cálcio, fósforo e vitamina D nos animais, em diversas fases de sua vida.

As causas mais comuns podem ser genéticas ou por má alimentação (daí a importância de sempre cuidar da alimentação do seu animal de estimação) e quanto mais rápido elas forem diagnosticadas, melhores serão os resultados positivos.

O importante é observar os sintomas destas doenças (o raquitismo, osteomalacia, osteoporose, osteofibrose e outras má formações do esqueleto) e procurar um veterinário na primeira suspeita. Cuide bem do seu animal!

PRECAUÇÕES:

Armazenar o produto em temperatura ambiente, ao abrigo do sol e calor (fogão). Manter sempre afastado de fontes de radiações eletromagnéticas (rádio, telefone, microondas, etc) bem como de produtos químicos (alvejantes, desinfetantes, etc).